Top7ranking: 7 profissões peculiares que não existem mais

7 profissões peculiares que não existem mais

Fotógrafo lambe lambe ou fotógrafo de jardim é uma profissão em extinção - Foto: Reprodução

Se você reparar bem, vai perceber que à medida que o tempo passa e tudo fica mais moderno, muitas coisas se tornam artigos de museu. É por isso que uma criança de dez anos vai achar estranho se dermos a ela um disquete ou um pager, por exemplo.

Acontece que não são apenas objetos que se tornam obsoletos, mas alguns costumes, tradições e profissões também. Se por um lado hoje qualquer consegue fazer tirar uma foto com câmera digital ou um celular, antigamente, era muito comum encontrar o fotógrafo lambe lambe ou fotógrafo de jardim, como também eram conhecidos esses profissionais, nas praças encapuzados e quase fundidos à caixotes sobres tripés, verdadeiras maravilhas da síntese que unia a câmara ao laboratório.

Confira abaixo algumas fotos bem interessantes de profissões que já estão extintas e que talvez você nem sabia que existiam:

7° Telefonista



Antigamente, para fazer uma ligação, era preciso falar com uma dessas mocinhas primeiro. Elas eram a responsáveis, por exemplo, por conectar chamadas de longa distância e outras tarefas que hoje são feitas digitalmente.

6° Acendedor de poste


Antes da energia elétrica, a iluminação noturna era à base do fogo de velas e lampiões que funcionavam com fogo e querosene. Quando o dia acabava, havia sempre alguém que saía pelas ruas acendendo os postes.

5° Arrumador de pinos de boliche ou Pinsetter



Tinha como função recolher e organizar os pinos derrubados depois de um arremesso de bola no boliche, e deixá-las certinhas para o próximo jogador. No entanto, em 1952 um sistema automático começou a ser usado para este fim, e os organizadores de pinos deixaram de ser contratados.

4° Despertador humano



Muita gente iria querer um desses ainda hoje, é verdade, mas já houve um tempo em que pessoas andavam pelas ruas batendo em portas e janelas alheias, fazendo barulho, tocando apito para acordar todo mundo. Já pensou?

3° Caçador de ratos



Era muito comum que pessoas trabalhassem caçando ratos na Europa, na tentativa de acabar com a infestação desses animais causadores de muitas doenças.

2° Ressurreicionista



Esse não devia ser o trabalho dos sonhos de ninguém, afinal o profissional dessa área era responsável por desenterrar cadáveres no século XIX. Tudo, é claro, em nome da Ciência: os corpos eram usados em pesquisas por diversas universidades. Logicamente, esse não era um processo legal, mas era o único jeito encontrado por muitas instituições para que seus alunos pudessem estudar Anatomia.

1° Radar humano



Era com gerigonças como essas (as super orelhas) que soldados tentavam prever a chegada de aeronaves de tropas inimigas. Haja tímpano!

Fonte: Megacuriso/ Profissional de Sucesso
Fotos: Reprodução/ Boredpanda
Página anterior Próxima página